h1

Como fazer Cartaz, Banner, Folder …

02/10/2010

Dicas para fazer cartaz, baner, folder, …

Seja um site, um cartaz, um cartão, uma revista ou qualquer outra coisa com letras e desenhos, acho que se pode reger pela regra KISS. As 5 regras que eu tento sempre cumprir:

  1. Tipos de letra: Quantos menos melhor. Não quer dizer que não possa usar 3 ou 4 tipos diferentes, mas serão provavelmente para transmitir uma ideia diferente ou para criar uma separação. Diria que se eu tenho um título – ou no caso de uma apresentação vários títulos – tentarei manter sempre o mesmo tipo de letra para este título. Num corpo de texto, vou manter sempre o mesmo tipo de letra nunca mudando subitamente, apenas mudando para itálico ou bold para dar ênfase a algum ponto. Uma revista, ou publicação com muitas páginas, pode permitir vários tipos de letra. Já um cartaz ou uma área de uma página com muitos tipos de letra vai apenas servir para distrair e confundir o leitor/ observador. Menos é melhor. Ainda em tipos de letra: Não escrever em MAIÚSCULAS. NUNCA! DIFICULTA A LEITURA E PARECE QUE ESTAMOS A BERRAR COM O LEITOR. Horrível não é?
  2. Não usar excessivamente imagens e “clip-art”. Sim é giro, tem piada, mas se usado para transmitir uma mensagem ou dar ênfase à mesma é mais útil do que apenas como decoração. Aquele ursinho pode ser amoroso, mas garanto que nada tem a ver com a apresentação da empresa acerca dos seus resultados trimestrais! Isto inclui fundos… fundos lisos ou menos confusos vão dar destaque ao que está em cima deles. Afinal não passa disso: um fundo! Em vez de usar dez imagens pequenas, talvez obtenha melhores resultados usando uma ou duas grandes. Em vez de usar três ou quatro imagens de tamanhos diferentes, talvez as consiga pôr todas com o mesmo tamanho e com uma moldura à volta, para as destacar do fundo e do texto. Dá consistência ao texto e facilita a leitura. Resumindo, as imagens têm um propósito para além de decoração. Se não ajudarem a comunicar a mensagem, talvez não devessem lá estar.
  3. Adapte o tamanho da letra ao tamanho da frase. Há quem diga que alfabeto e meio (39 caracteres) é o comprimento ideal de uma frase. Apesar de nada impedir que a frase seja maior ou mais pequena, será talvez um bom princípio para verificar se o arranjo gráfico parecer “esquisito” e não se consegue perceber porque. Usar apenas quatro ou três palavras por frase vai dificultar a leitura. Usar 40 ou 50 palavras por frase vai cansar o leitor. Estou obviamente a falar de um cartaz, cartão ou convite, ou até de uma apresentação. É óbvio que um livro ou artigo numa revista é diferente! Aí a mensagem é composta de muitas palavras.
  4. Deixe espaço em branco, sem nada, limpo, zilch, nickles. Sim, eu sei que é estranho, mas há poucas coisas que contribuam mais para a comunicação de uma mensagem do que aquele espaço à volta da própria mensagem. Ao mesmo tempo que leva os olhos à mensagem, também lhes dá um descanso, um espaço para respirar depois de ler a mensagem, uma pausa. A pausa que poderá fazer a diferença entre fixar a mensagem… ou não. As margens à volta de um texto ou imagem devem ser uniformes e de medidas iguais para novamente ajudar os olhos do leitor na leitura da mensagem. Regra geral, um texto com muito espaço à volta transmite uma ideia de riqueza, elegância e prestigio. Uma página carregada transmite pobreza, barato ou amadorismo. Um exemplo, para quem se lembrar, são os anúncios “Think different.” da Apple. Pouco texto, muito espaço, uma foto. Elegância, riqueza, exclusividade.
  5. Alinhamento. Tudo numa página, cartaz, convite ou apresentação deve alinhar com qualquer coisa. O título deve alinhar com o texto. A fotografia deve alinhar com o título. O desenho deve alinhar com o texto. Enfim, alinhar tudo. O uso de uma rede poderá facilitar este alinhamento. Acho errado manter tudo centrado, mas também não convém andar a alinhar texto à esquerda, à direita, ao centro, acima e abaixo. Se mantiver as coisas alinhadas umas com as outras, vai ver que a pouco e pouco vai começar a perceber aquilo que estou a dizer.

Não há regras rígidas e inflexíveis para compor uma peça, mas também há muitas mais do que as cinco que descrevo acima. Cada designer ou paginador terá, com certeza, as suas próprias regras e essas não estarão erradas mesmo que colidam com algumas das que descrevi acima. No final do dia é a transmissão da mensagem que importa. É a eficiência com que se transmite uma ideia e a sensação criada no leitor que é importante.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: